RON TRENT (musicandpower) – Chicago, USA

How The Music Reflects One’s Soul, Essence, Social & Political Points Of View

RON-TRENT-Interview-(Electronic-Standards)---Photos-01-(TO-USE)

“Ele nunca lançou uma faixa ruim… jamais”. O comentário sincero, postado em um release do Ron Trent no Discogs, não pode ser negado. A verdade é que, independente de qualquer coisa, não se trata apenas de jamais ter feito uma obra de má qualidade, mas de saber o que há por trás disso. Por que Ron Trent é considerado um personagem proeminente não só para a cena de House Music, como toda a cultura club, do ponto de vista dos DJs, produtores e gravadoras.
Muito influenciado pelos seus pais e pela geração dos Movimentos dos Direitos Civis e da Casa Africana da Universidade de Massachusetts, Ron Trent compartilhou conosco suas influências e perspectiva de vida em um depoimento emocionante e culturalmente profundo. A entrevista a seguir, portanto, não terá perguntas e respostas; falará das relações e conexões entre a música e os contextos étnicos, políticos, sociais e filosóficos que nos permeiam.

“He has never released a bad track… ever.” The truthful comment, posted under a Ron Trent release on Discogs, cannot be denied. Although, it’s not only a question of never having done a bad track, but what in fact lies beyond that reality. Why is Ron Trent considered a prominent character not only for the House Music scene, but to the Club culture as well, from the DJs to the Producers and Labels point of view.
Largely influenced by his fathers and their generation of Civil Rights Movement and
‘Africa House University of Massachusetts movement’ as well, Ron Trent gave us the clue about his influences and way of life on a deeply emotional and culturally profound statement. The next interview will sound more like a statement than a proper question and answer practice and will be about the relations between music with ethnical, philosophical, political & social contexts that surround us.   » Continue lendo esta matéria

NICKY SIANO – ‘LOVE IS THE MESSAGE’

DEPOIMENTOS DOS TEMPOS INICIAIS DA ERA DISCO
(TESTIMONIALS FROM THE EARLY DAYS OF DISCO)

NICKY SIANO Interview - Danny Krivit & Grace Jones

Nicky Siano & Grace Jones (Russia)

Nome essencial da história da Disco e residente do The Gallery, Nicky Siano não poupa palavras quando se trata de trazer a tona suas memórias a respeito da era dourada dos clubes de Disco Music. Tomou a iniciativa de lançar o filme ‘Love Is The Message: One Night At The Gallery’ (1977) que retrata exatamente a época em que esteve à frente dos toca-discos do The Gallery, durante os anos setenta. “Este é o único filme sobre a era, gravado na época”, diz, referindo-se ao The Gallery, em 1977. Para ele, “os outros filmes te falam a respeito de como era; no meu filme, você realmente vive duas noites no Gallery, e termina com a sensação de querer ter estado lá. Você pode saber como foi; apenas assista ao filme. Foi a primeira vez que as pessoas puderam dançar ‘um novo tipo de música’. Nada se compara a isso“, relata o pioneiro. 

A quintessential name of Disco history and resident DJ at The Gallery, Nicky Siano doesn’t spare words when he brings on his memories about the golden era. More recently, he was involved on the release of his movie about the time he was behind The Gallery’s decks at the Seventies, according to his own words, recorded at the period itself. “‘Love Is The Message: One Night At The Gallery (1977)’ is the only film about the era, actually shot during the era.  Other releases tell you what it was like; in my film, you actually get to spend two nights at The Gallery, experience it first hand, and walk out, wishing you were there. You can see what it was like, just watch the film… it was the first time people were dancing to a ‘new kind of Music’… Nothing can compare with that”, says the pioneer.  » Continue lendo esta matéria

Electronic Standards apresenta a mixtape “Aesthetic Soul V”

“Omnia Vincit Amor”

Idealização, texto e repertório: Alain Patrick
Mixagens: Davi Rodrigues

Aesthetic Soul V Profile Pic 03

Outro dia, lembrei do famoso verso do poeta romano Virgílio (70 AC – 19 AC) “Omnia vincit Amor; et nos cedamus Amori”, sobre o sentimento mais poderoso da Terra. De forma e fonética tão magníficas quanto o conteúdo, signifca “O Amor vence tudo; cedamos nós também ao Amor.”

Pensei que, por pior que seja o seu status emocional naquele momento da sua vida e por mais piegas que possa parecer o assunto, é um dos versos de significado mais profundo já escritos. Eu sei que muita gente acha que “este tipo de coisa não faz mais sentido hoje”, já que vivemos em um mundo onde triunfaram o individualismo e os objetivos pessoais. “Não há mais espaço para isso“, dizem. Afinal, “falar de amor é coisa do passado“. Mas, apesar de estar ciente que o amor não vence sempre no dia a dia, ele tem o poder de, e ao menos dentro de nós, deveria prevalecer.  » Continue lendo esta matéria

IAN O’BRIEN – Entendimento é Tudo

Ian O Brien - Entrevista Interview (Electronic Standards) - Personal Pics - 03

Foto: Arquivo Pessoal

A capacidade de se conjugar em um mesmo indivíduo: extraordinário conhecimento e feeling musicais, qualidades técnicas que proporcionem mixagens de áudio excepcionais, e grande sensibilidade (inclusive por causas nobres e humanitárias). Isso tudo, definitivamente, não é para qualquer um. Na realidade contemporânea em que a palavra produtor nunca esteve tão genericamente empregada, ainda pairam exemplos de notabilidade, como o britânico residente no Japão, Ian O’Brien. Autor de ‘Understanding Is Everything, ele está mais musical, inspirado e consciente do que nunca. O seu álbum recém lançado terá renda destinada para compra de materiais escolares na a região de Touhoku, noroeste do Japão, severamente atingida pelo Tsunami de março de 2011 e que precisa desesperadamente de ajuda (se não bastasse a nobre causa, o repertório está, como de costume, incrível). » Continue lendo esta matéria

Le Captain Konk – Homenagem a um grande amigo

Amizade e Cultura Fazem Diferença

Homenagem A Um Grande Amigo (Electronic Standards) - Flavivs Albertvs - 12s - 01. Opening - Munich Machine

“It’s All Wrong (But It’s Alright)”: Munich Machine e amizades pautadas por arte e tecnologia

O Electronic Standards de hoje não tem como pauta nenhum artista singular ou obra revolucionária. Não tratará de discos raros, álbuns obscuros, EPs ou singles viscerais. Não trará a tona nenhum grande segredo de como aquela obra-prima foi feita, nem equipamentos com timbres singulares usados em sua produção. Falará do valor de uma grande amizade.

Ter uma grande amizade significa absolutamente tudo na vida. Um grande amigo pode, inclusive, representar um divisor de águas. Nos fazer crescer, aprender, e principalmente, fazer a nossa jornada ter sentido. É verdade que muitas vezes, nem sempre os nossos melhores amigos são aqueles que imaginamos em um primeiro momento. Há coisas que apenas o tempo revela. E não está errado acreditar nas pessoas, muito pelo contrário.

Mas voltemos ao nosso grande amigo, já descoberto e merecedor das honras. Entre outras inomináveis qualidades, além de nos proporcionar momentos inesquecíveis, consegue enxergar um potencial em nós, por vezes adormecido, que sequer imaginamos. Nos inspira a irmos atrás, nos desenvolvermos. Mas não faz nada por nós, ao contrário; consegue nos fazer refletir, o que pode trazer como benefícios mudanças importantes, revoluções internas, buscas permanentes por conhecimento e crescimento.
» Continue lendo esta matéria