dbmixtape Edgard Scandurra

22/02/2013

por Jade Augusto Gola

O Scandurra é daqueles músicos cuja carreira tem tantos momentos, e que estando em atividade até hoje fica difícil definir quais capítulos de sua trajetória são os mais legais.

Então como é regra aqui no deepbeep, deixamos a música falar, e convidamos a guitarra canhota mais famosa do Brasil para gravar um db mixtape de predileções e influências, que você ouve agora em nosso player.

Metade fundamental do Ira! e do rock brasileiro dos anos 80, Scandurra deixou registros artísticos e sonoros na discografia de muitos artistas e estilos: Ultraje a Rigor, Kid Abelha, Arnaldo Antunes, na dance music nacional com o disco “Benzina”, Lobão, As Mercenárias, Marina, música para crianças com o Pequeno Cidadão, a revelação Karina Buhr – a lista vai longe…

Ira! – Gritos na Multidão (ao vivo em 1987)

Neste db mixtape, rock, eletrônica e pop são delimitados por ícones ecumênicos da música (Gainsbourg, Kraftwerk, Roberto Carlos, Led Zeppelin, Elvis), por novidades femininas (Grimes, Bárbara Eugênia), pela energia do blues e através de sensualidade contemplativa, como nas faixas de Angelo Badalamenti, trilhas de “Twin Peaks”.

Com o som e a palavra, o próprio Scandurra.

Fale um pouco sobre o mixtape: os critérios para a seleção e a energia que você quis passar.

Imaginei uma rádio com tendências nostálgicas e levei em conta o que eu consumo ouvir em casa, sem muita pretensão de ser cabeça ou chic em meu set. 

Desde 2008 você vem tocando versões de Gainsbourg. Como é e foi a relação com o músico e qual a importância dele em sua opinião?

Me sinto na obrigação, como artista, de mostrar para as pessoas um pouco da espetacular obra de Serge Gainsbourg. Ele é um exemplo de artista incansável durante décadas provocando o público: o sistema, a política e os costumes.

O maior gênio da musica pop francesa, sem dúvidas. 

Edgard e WanderleiaScandurra e Wanderléa juntos no Auditório Ibirapuera – Festival Grito Rock 2013

Depois de tantos anos, como anda sua relação com as guitarras? O que muda para um guitarrista com o passar do tempo? Quem você acha que tem feito um trabalho impecável nas guitarras hoje em dia, no Brasil e fora daqui?

O tempo nos deixa mais econômicos na guitarra e os grandes solos se transformam em riquezas de timbres e notas sutis. Acho que no Brasil guitarristas aparecem aos montes e muitos deles de muito bom gosto.

No exterior gosto do guitarrista da banda Muse e de Jack White pela militância do rock/blue 

Os anos 80 são uma sonoridade muito latente na música até hoje, do underground ao mainstream. Você gosta de ouvir essas referências?

30 anos depois os anos 80 ainda marcam mais a música pop de hoje do que outras décadas. Acho que foi um tempo onde um garoto podia fazer sucesso com sua banda. Isso tem um ar romântico que seduz tanto nos desejos como musicalmente na sonoridade.

Eu pessoalmente acho um tanto exagerada essa fixação com os anos 80. Haviam coisas incríveis, mas haviam muitos jabás e muitas das músicas e artistas que marcaram época tiveram que se sujeitar a essa prática abominável de vender sua arte.

Edgard Scandurra – Gera (Benzina)

O “Benzina” é um curioso capítulo da eletrônica nacional. O que você lembra dessa época de beats nos anos 90, e como anda sua relação e consumo de dance music hoje em dia? Você costuma sair para dançar, para clubes…?

Eu acho incrível os anos 90 por causa da música eletrônica. Meu diferencial de outros projetos (e também uma certa desvantagem) era que eu trabalhava lowtech com equipamentos simples, o que também gerava um som de muita personalidade.

Eu me lembro que essa geração usou o MDMA para suas experiências artistas e pagou um preço alto porque as drogas sintéticas cobram de você muita energia e serotonina de maneira irreversível.

Hoje acompanho a cena com certa tristeza pois me parece que ela não evoluiu. Porém, nada a superou como força tecnológica dentro da música. Parece que o futuro foi feito vinte anos atrás!

edgard-fotolegenda

Como é sua relação com consumo e pesquisa de música online?

Eu gosto muito de ouvir música online, mas não gosto de baixar músicas. Acho que ouvir no iPhone é bem diferente de ouvir música com calma, prestando atenção nos arranjos e letras. Me irrita o shuffle, o sorteio de músicas entre milhares delas. Sinto falta do conceito do álbum, com começo meio e fim de uma obra. Por isso gosto muito do Soundcloud, onde descubro novos artistas e suas experiências, às vezes embrionárias.

 E os planos para 2013?

Meu desejo é lançar um disco entre parcerias e um disco instrumental, além de cuidar de minha carreira no exterior. Acho que está na hora!

Fotos: Divulgação

comente

avatar

dbmixtape Edgard Scandurra

tracklist

1. Serge Gainsbourg – Black Trombone
2. Jimi Hendrix – Are You Experienced?
3. Angelo Badalamenti – Falling
4. Angelo Badalamenti – A Nightingale
5. Daft Punk – Veridis Quo
6. Kraftwerk – The Man-Machine
7. Elvis Presley – Love Me Tender
8. Roberto Carlos – Olha
9. Jane Birkin et Serge Gainsbourg ‎– Je T’Aime… Moi Non Plus
10. Bárbara Eugênia – O Tempo (arranjos por Edgard Scandurra)
11. Jimmy Stallings – Heya
12. The Small Faces – My Mind’s Eyes
13. Procul Harum – Pandora Box
14. Led Zeppelin – Going to California
15. Grimes – Genesis

links

http://edgardscandurra.uol.com.br
https://www.facebook.com/EdgardScandurra

sets & podcasts

db112 Andrea Gram db126 André Araújo

acompanhe